Olá leitor! O golpe financeiro é um dos principais problemas enfrentados pelos consumidores. Apesar das notícias recorrentes sobre golpes com dinheiro sempre aparecem na mídia. Mesmo com o acesso fácil à informação, muitas pessoas ainda caem nessas armadilhas.

Na maioria das vezes, o golpe não é percebido até o momento em que é necessário resgatar o dinheiro, e os problemas começam. Vejamos quatro dicas para não cair em golpes financeiros.

Wake Up Cobranças

Com a crise financeira enfrentada pelo país, e o agravamento do desemprego as pessoas buscam formas alternativas de sanar seus débitos, por não terem uma reserva de emergência. O empréstimo pessoal acaba sendo uma das principais opções.

Por diversos motivos os principais bancos em que essas pessoas são correntistas não há a concessão desse limite de crédito. Restrições, atrasos, desemprego, score baixo essas são algumas das opções de levam os bancos mais conhecidos a não concederem limites de empréstimo, a partir da análise de perfil do pagador.

É a partir desse momento de vulnerabilidade que os golpistas através de anúncios de sites, jornais e revistas, realizam abordagens por telefone, internet, ligações, WhatsApp ofertando condições vantajosas e taxas de juros baixar, amplos parcelamentos e sem consulta ao SPC/SERARA. Porém, se você não quer cair em golpe observe essas condutas:

1. Para “liberação” do seu empréstimo é necessário um depósito prévio

Apesar de parecer inconcebível as pessoas que se encontram em condições desesperadoras acreditam que para receber um empréstimo de R$10.000,00 elas tem que depositar R$500,00. TOME CUIDADO É GOLPE! Quando avaliamos as condições de crédito dos bancos tradicionais percebemos que nenhum deles solicita um depósito prévio para liberação, e é justamente essa postura que você precisa esperar de um banco ou financeira confiável. Falou em depósito prévio: CORRA!

2. Concessão de empréstimo sem consulta ao SPC/SERASA

Assim, como vimos nos artigos anteriores avaliar o perfil do cliente é fundamental ainda mais quando se trata de uma transação financeira. Dessa forma, os sites que ofertam condições vantajosas de juros e sem consulta do seu perfil de pagamento nos programa de proteção ao crédito não merece confiança.

Vale ressaltar, que você preenche um formulário com todas as suas informações pessoais, e elas são importantes e é justamente por isso que não devemos preencher nossos dados em sites de financeiras, bancos, e quaisquer outros não tenham um mínimo de confiabilidade.

3. Pesquise antes de preencher seus dados

A pesquisa é fundamental, os empréstimos confiáveis só podem ser concedidos por instituições financeiras que possuam uma autorização do Banco Central (BC) consulte nesse site: https://www.bcb.gov.br/estabilidadefinanceira/encontreinstituicao

Outros sites de pesquisa que te ajudam a pesquisar sobre a empresa é o Reclame Aqui e o Procon. Evite fornecer seus dados pessoais, e verifique principalmente se existem erros de português nas mensagens dos sites que está pesquisando tudo isso são indícios de sites não confiáveis, o deixando mais “com cara” de golpe.

Na internet, os e-mails de divulgação das lojas também podem ser uma ferramenta de fraude. A recomendação, portanto, é não clicar em links duvidosos, que podem levar o consumidor a páginas de conteúdo falso ou até comprometer a segurança do dispositivo por meio do qual o acesso é feito. “Em vez disso, procure digitar o endereço do site na barra do navegador”, indica o especialista do SPC Brasil. 

4. Não consigo emprestimo por conta do meu Score o que fazer?

Wake Up Cobranças

Um dos principais motivos que levam tanto as instituições financeiras quanto o comércio negar o crediário, ou empréstimos pessoais é a falta de score.

Leve em consideração a sua renda, procure aos poucos colocar seus compromissos em dias. Ah! Uma dica é colocar seu CPF em todas as compras de mercado, farmácia, fatura de energia, água, pagamento em dia dos boletos, postos de gasolina e quaisquer lugares CONFIÁVEIS que forneçam nota fiscal. Tudo isso passa a constar no seu score como saldo positivo.

Esse artigo ajudou você? Deixe seu comentário! Uma sugestão para os próximos temas! Aguardamos você no próximo artigo.

 11,126 Pessoas Leram este Artigo,  12 Visualizações Hoje


Luciana Lima Wake Up

Graduada em Direito pelo Centro Universitário de Goiás. Pós graduanda em Direito do Trabalho e Processo do Trabalho pela Anhembi Morumbi. Redatora de textos acadêmicos e na área de cobranças pela Wake Up Cobranças.

1 comentário

PROTESTAR BOLETOS É POSSÍVEL? | Wake Up Blog · Janeiro 22, 2021 às 2:35 pm

[…] de um produto por um valor previamente especificado, via de regra por escrito, o boleto é uma das formas de recebimento, tornando-se um título passível de protesto. Mas, porque executar um […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *