A crise causada pelo Corona Vírus (COVID-19) tem impactado diversos setores econômicos e sociais, dentre os principais impactos temos o setor do comércio que além de não estar funcionando em algumas localidades do país têm sofrido a inadimplência.

O isolamento social tem sido apresentado como uma solução paliativa de combate à doença e como forma diminuir a quantidade de leitos nos hospitais, porém fechar todo o comercio do país traz reflexos preocupantes para toda a economia, são profissionais que não trabalham, não recebem e priorizam contas e nesse meio tempo o comercio acaba sendo prejudicado.

Apesar das negociações entre patrões e empregados sobre seus contratos de trabalho a diminuição do consumo e o aumento da inadimplência tem chegado as empresas e como lhe dar com essa situação?

A inscrição nos programas de proteção tem sido uma forma de separar aqueles que são considerados “bons pagadores” daqueles que não pagam seus compromissos em dia. Por outro lado, na atual situação, e com a necessidade de priorizar as necessidades básicas como alimentação, energia, água o comercio deve se posicionar de uma forma diferente.

Vejamos o que disse o Diretor Executivo da Câmara de Dirigentes Lojistas – CDL (TAVARES, STEFFENS, 2020):

“A leitura que a gente faz é que os lojistas estão esperando para registrar os negativados porque entendem que este não é o momento. Algumas pessoas estão passando por problemas financeiros momentâneos. Os registros estão acontecendo com menor incidência”, declarou ele, em entrevista à Rádio Diário AM 780 de Carazinho.

O posicionamento dos lojistas tem sido alterado pela condição econômica que o país tem enfrentado, devemos nesse momento priorizar a relação com consumidor levando em consideração uma esperança de que momentos de crise passam, e o comércio voltará a funcionar.

Novamente, a fidelização do seu cliente deve ocorrer de diversas formas, através de descontos, facilitações, produtos e atendimento de qualidade, e principalmente nesse momento uma compreensão sobre o porquê do aumento da inadimplência como uma estratégia para manter seu cliente, de forma negociar juros e outros aspectos do débito para que seu cliente sinta confiança em continuar com a sua empresa.

Outro cuidado, que deve ser tomado pelo lojista é a observância de novas leis que tem surgido tanto do âmbito Federal quanto Municipal que tratam sobre a possibilidade de inscrições em serviços de proteção de crédito. A Câmara dos deputados aprovou em março um projeto que impede a inscrição de devedores nos cadastros de proteção de crédito, como SPC e Serasa, por três meses, durante a pandemia do novo Corona Vírus.

Essa proposta, segue aguardando um posicionamento do Senado. O texto prevê que nenhum inadimplente seja incluído nas listas por 90 dias, contados a partir de 20 de março. Ou seja, as inscrições no cadastro já feitas desde o fim de março devem ser excluídas, nesse sentido observar as legislações nesse momento evita possíveis constrangimentos e consequências legais que podem onerar o baixo rendimento já obtido pelas empresas nesse momento de crise.  

Apesar do comercio buscar a não negativação nesse momento, a análise de crédito ocorre dentro dos padrões de normalidade, principalmente porque busca-se evitar a inadimplência que independe da crise, aquela que já ocorria antes do estado calamidade do país.

Assim, resolver isso com o cliente nesse momento requer estratégia, compreensão, adoção de técnicas de fidelização de modo a vislumbrar um período não tão distante quando a crise não mais afetar de forma clara a economia do país.   

Aguardamos você no próximo artigo!  

 598 total views,  8 views today


Luciana Lima Wake Up

Graduada em Direito pelo Centro Universitário de Goiás. Pós graduanda em Direito do Trabalho e Processo do Trabalho pela Anhembi Morumbi. Redatora de textos acadêmicos e na área de cobranças pela Wake Up Cobranças.

2 comentários

SENADO SUSPENDE INCLUSÃO DO CONSUMIDOR NO SPC E SERASA DURANTE PANDEMIA | Wake Up Blog · Junho 13, 2020 às 12:07 pm

[…] do consumidor nos sistemas SPC e Serasa já fora discutido anteriormente em nosso blog no artigo A inscrição nos programas de proteção de crédito SPC e Serasa, nele apresentamos o posicionamento do comercio em diminuir a quantidade de inscrições em […]

PRIVATE LABEL, CO-BRANDED E CREDIÁRIO PRÓPRIO, DIFERENÇAS | Wake Up Blog · Junho 18, 2020 às 6:32 pm

[…] das diversas críticas sobre a questão da inadimplência, ao analisarmos que você estará diariamente adquirindo experiência com seu cliente, e com o […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *