O momento de crise que vivemos começou na saúde, mas, se espalhou para diversos outros setores como economia e educação, principalmente na saúde financeira das famílias brasileiras que buscam formas alternativas para reduzir o impacto causado pelo período de pandemia.

Porém, na falta de elementos essenciais as famílias brasileiras acabam por adotar o parcelamento de produtos com a utilização do cartão de crédito, como se sabe o parcelamento do cartão de créditos se apresenta como uma ameaça à saúde financeira em decorrência da composição de juros sobre juros e no final das contas o produto pode sair até 3 vezes mais caro se tivesse sido adquirido à vista.

taxas de juros

Porém, as instituições bancárias percebendo o momento de crise a necessidade das pessoas em procurar com mais atenção as taxas de juros ao adquirir produtos, empréstimos e cartão de crédito resolveu adotar políticas que visam diminuir a taxa de juros no sentido de preservar a carteira de seu correntista.

Não se trata apenas de uma medida para auxiliar seu correntista, mas também uma estratégia de marketing para os bancos no sentido de preservar aquele correntista vinculado a instituição bancária. Vejamos agora seis bancos mudaram a sua política:

  1. BANCO DO BRASIL

Voltado para as pessoas jurídicas, ou seja, para as empresas o Banco do Brasil se preocupou em lançar um novo produto o Cartão Ourocard Empreendedor, sem o pagamento de anuidade, com aceitação internacional que oferece ao seu perfil juros de 2,85% mensais no parcelamento da fatura.

Essa concessão não realiza uma consulta prévia sobre o consumidor aos órgãos de proteção de crédito como SPC e Serasa. O pagamento da fatura ocorre em até 40 dias, o limite mínimo de compra é de 100 reais para que o cliente consiga a isenção da anuidade. Outras medidas adotadas pelo banco do Brasil é a possibilidade de postegar o pagamento de empréstimos em andamento, mantendo a taxa de juros sem aumento por até 90 dias.

  • BANESTES

Este banco ofereceu aos seus correntistas uma redução de 30 a 50% a partir da análise de qual serviço está sendo utilizado. Nos cartões de crédito Banescard e Banestes Visa a taxa passou a ser 2,35% mensais, e a redução abarca as pessoas físicas que utilizam esse cartão, essa taxa permanece vigente até julho de 2020 podendo sofrer alterações posteriormente.

  • BMG CARD

Voltado para correntistas aposentados, pensionistas do INSS e servidores públicos esse cartão oferta taxas de juros que vão variar entre 3,06 a 3,96%, com a possibilidade de crédito, saque do valor referente ao crédito e ainda a possibilidade de desconto direto na fonte, sem cobrança de anuidade.

  • CAIXA

A Caixa é uma banco que não poderia deixar de ofertar facilidades tendo em vista que o percebimento de diversos benefícios sociais são realizados através dela e uma parcela significativa da população possui conta corrente neste banco, nesse sentido além de ofertar uma baixa na taxa de juros houve uma baixa relacionada ao cheque especial (de 4,95% para 2,90%), aumento no período para pagamento de crédito e financiamento imobiliário (postergação de até 90 dias se o pagamento estive em dias, com redução de 7,7% para 2,90% nos juros).

  • ITAÚ

Os clientes da carteira do ITAÚ já lidam diariamente com taxas mais altas em decorrência do enfoque bancário geralmente relacionado a operações do império agropecuário, atendimento diferenciado, lida diariamente com operações bancárias significativas.

Eles ofertaram para seus clientes duas opções de parcelamento para que o cliente escolha aquela que melhor se adequa a sua realidade e quanto maior a quantidade de parcelas maior a quantidade de juros pagos, a taxa ofertada por esse banco é de 4% mensal.  

  • NUBANK

Banco digital bastante em alta porque oferta isenção de taxas de transferências, mas com um valor considerável para saques. Buscou auxiliar seus correntistas afetados pela crise com adoção de uma taxa de juros de 1,9% mensais tendo em vista que a taxa normalmente varia de 2,75% a 14%.

Para realizar o parcelamento da fatura é preciso dar uma entrada e também está concedendo uma carência de 60 dias para pagamentos de parcelas em dias.

Assim, leitor antes de realizar o parcelamento, caso ele seja realmente necessário procure calcular quanto ficará a parcela, se você conseguirá manter o pagamento em dia. E conte conosco para retirar suas dúvidas.

 108 Pessoas Leram este Artigo,  4 Visualizações Hoje


Luciana Lima Wake Up

Graduada em Direito pelo Centro Universitário de Goiás. Pós graduanda em Direito do Trabalho e Processo do Trabalho pela Anhembi Morumbi. Redatora de textos acadêmicos e na área de cobranças pela Wake Up Cobranças.

0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *