Olá leitor! Vamos ver hoje a importância de termos uma reserva de emergência, mas antes deixa eu te fazer umas perguntas! (Seja sincero hein!!!!!!) Restaurante é emergência? Praia é emergência? Capinha de celular é emergência? Tênis novo é emergência? Se a sua resposta foi NÃO!!! Então você está no lugar certo!

Saiba mais em Wake Up Cobranças

1. O que é uma reserva de emergência????

A reserva de emergência é um dinheiro que fica guardado (de preferência em uma conta) para ser utilizada apenas nos casos mais urgentes. Porém, assim como você tem uma caixinha de primeiros socorros em casa (aquela famosa caixa de remédio) você tem, mas, espera não precisar dela tão cedo! Da mesma forma deve ser a sua reserva de emergência. Casos considerados de emergência são: acidentes de carro, perda de emprego, uma reforma inesperada na sua casa, um falecimento inesperado, algo que realmente justifique você mexer nesse dinheiro.

Todos sabemos da dificuldade de poupar, mas é nesse momento que devemos ter em mente que é melhor “prevenir do que remediar”. Pois, recorrer nos momentos de crise aos empréstimos bancários, cheque especial, empréstimo com familiares não é uma boa opção para a saúde financeira do seu lar.

Wake Up cobranças - Conheça mais.

2. Como calcular a reserva de emergência?

Uma dúvida recorrente sobre qual valor deve ser a meta para a reserva de emergência. Esse valor pode ser estimado em seu custo de vida durante o período de seis meses, mas, atenção NÃO É O SALÁRIO, é o custo de vida. Ou seja, é necessário que você tenha um orçamento sobre quanto você gasta por mês com gastos fixos, gastos variáveis, extras e supérfluos todos esses fatores precisam entrar no seu objetivo e valor final para a sua reserva de emergência. Esse é o cálculo deve ser pensado e poupado ao longo do tempo de uma forma que não onere seu custo de vida e não se esqueça é uma RESERVA! Ele não pode ser utilizado TODA VEZ que você vê uma necessidade média.

Outra pergunta bastante recorrente, é onde esse dinheiro deve ser acumulado? Como acumular tanto dinheiro. Vamos supor que seu custo de vida é quatro mil mensal, então a sua reserva deve ser no valor de vinte e quatro e mil. E por ser um valor tão alto é que será considerada uma RESERVA DE EMERGÊNCIA!

3. Não acumule na poupança

Seja o tempo que for, com as taxas de juros no Brasil. Qualquer dinheiro que for deixado no tesouro Selic valerá muito mais apena do que na poupança, seja pelo prazo de um mês a seis meses. Sempre haverá uma renda maior (Mesmo com o imposto de renda). O lugar para acumular a reserva de emergência: 1- Tesouro Selic, ou seja, se a partir de agora você decidir que irá mandar R$200,00 reais para ter a sua reserva de emergência ideal você pode programar de forma simplificada seus investimentos. Dê prioridade para investimentos com liquidez diária, porque a liquidez diária é a capacidade que o dinheiro tem de sair rapidamente daquela aplicação, e assim quando de fato surgir uma emergência será fácil de retirar.

4. Quando usar?

Como já questionamos lá no começo do artigo: Restaurante é emergência? Praia é emergência? Capinha de celular é emergência? Tênis novo é emergência?

Todos temos uma noção de uma emergência, esse valor deve ser utilizado quando você perde o emprego, principalmente nesse momento de pandemia pense como uma reserva de emergência ajudaria a passar por esses meses mais caóticos, sem prejudicar a sua qualidade de vida. Use com aquilo que é realmente necessário, emergência de saúde e outras situações não previstas e fáceis de serem solucionadas sem uma reserva.

Não é fácil manter o controle e não gastar a reserva de emergência com pequenos apertos diários, mas, tenha em mente que a sua segurança financeira e de sua família depende dessa reeducação financeira, que é extremamente importante para lhe proporcionar uma qualidade de vida!

Aguardamos você no próximo artigo!

 336 total views,  9 views today


Luciana Lima Wake Up

Graduada em Direito pelo Centro Universitário de Goiás. Pós graduanda em Direito do Trabalho e Processo do Trabalho pela Anhembi Morumbi. Redatora de textos acadêmicos e na área de cobranças pela Wake Up Cobranças.

1 comentário

Wake Up Blog | O REGISTRO DE EMPRESAS FOI FLEXIBILIZADO - MENOR BUROCRACIA · Julho 2, 2020 às 6:30 pm

[…] a organização de toda a documentação antes mesmo do nascimento da empresa requer um auto investimento financeiro, por isso o Governo em 15 de junho de 2020 decidiu simplificar esse processo de registro e unificar […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *