Olá leitor, hoje vamos tratar sobre o protesto de boletos. Isso porque essa forma de recebimento tornou-se usual no mercado consumidor, mas, aliado a isto surgem as inadimplências principalmente correlacionadas a possibilidade (em alguns casos) de se poder realizar o pagamento com um pequeno acréscimo de juros já especificados no boleto.

Mas, levando em consideração que a emissão de boletos possui um custo, e que a inadimplência prejudica tanto o capital da empresa quanto o valor empreendido na emissão dos boletos é possível protestar um boleto? É o que vamos responder hoje!

Protestar boletos é possível?

SIM! É possível protestar o boleto porque ele é um título constituído que auxilia na cobrança extrajudicial. Ou seja, o boleto é emitido após a celebração de um contrato de consumo onde há a entrega de um produto por um valor previamente especificado, via de regra por escrito, o boleto é uma das formas de recebimento, tornando-se um título passível de protesto. Mas, porque executar um boleto?

Protesto de Boletos | Wake Up cobranças
Protesto de Boletos | Wake Up cobranças

Quando um cliente conhece suas dívidas, mas não tem intenção de pagar,  exceto nos casos em que se vincula o pagamento a uma fatura de cartão, é difícil estabelecer uma relação de cobrança eficaz, pois, na maior parte dos casos com a “renegociação” esse cliente apenas gera custos para a empresa.
Com a emissão de novos de boletos que não serão pagos ( nos casos de clientes que não tem a intenção de pagar) para resolver esse problema, você pode protestar contra o boleto, que é uma ótima maneira de ajudar a receber contas em atraso.

Assim, o protesto é uma forma de cobrança extrajudicial e é garantido pela lei federal 9.492 / 97 e se configura como forma eficaz de ressarcimento de dívidas de clientes inadimplentes. Em outras palavras, isso significa que você pode entrar com uma ação formal para provar que um indivíduo (seja uma pessoa física ou jurídica) comprou um produto ou serviço e não pagou, e que você tem o direito de receber e recuperar seu dinheiro.

Quem pode protestar?

A pessoa apta para realizar a cobrança ou o protesto é a empresa ou pessoa jurídica que emitiu o boleto, esse protesto pode ser feito de duas formas na instituição bancária que emitiu o boleto, ou no Cartório de Notas e Protesto de Títulos, mediante a apresentação dos documentos pessoais e dos dados do boleto (de preferência uma cópia) é possível protestar esse título.

Após o protesto, o dever é notificado e tem o prazo de 3 dias para quitar a dívida pois, em caso de não pagamento será inscrito nos programas de proteção ao consumidor SPC e SERASA.  Outro ponto interessante do protesto é que ele impede a aptidão do devedor de realizar concursos públicos, compra de imóveis e qualquer outro tipo de transação que envolva a necessidade de se emitir uma certidão negativa de protesto.

Mas, quando o boleto pode ser protestado? Desde seu primeiro dia de atraso, mas o costume é realizar o protesto com 30 dias de atraso (estabeleça uma política de protestos em sua empresa, caso seja viável).  Mas, antes de utilizar essa medida certifique-se que seu cliente lembra deste débito, para isso é importante estabelecer uma relação com seu cliente através das mídias sociais.

Quanto custa protestar?

O valor do protesto varia de acordo com a tabela de cada cartório, assim para realizar um protesto de boleto é necessário você deve dirigir-se ao cartório de protestos ou ao cartório de protestos, órgão responsável pelo registro e execução dos procedimentos de cobrança necessários. Primeiro, você deve preencher o formulário, que contém todos os dados do devedor, como nome, número de identificação do documento e endereço completo.

Protesto de Boletos | Wake Up cobranças
Protesto de Boletos | Wake Up cobranças

Desde então, o cartório entrou no processo de cobrança, enviando o nome do cliente inadimplente à agência de proteção ao crédito e comunicando informações sobre sua dívida ao devedor.

Ele também é responsável por monitorar o andamento dos protestos. As dívidas com juros e mora podem ser pagas no cartório ou diretamente ao beneficiário ou empresa beneficiária, neste caso, o empresário deverá levar o recibo ao cartório de origem do protesto.

Com o pagamento efetuado, o nome do devedor deve ser imediatamente removido dos cadastros do SPC e Serasa. Assim, antes de protestar um boleto, cheque ou qualquer outro título de cobrança analise o perfil do cliente, seja razoável e preze pelo relacionamento com o cliente o que na maior parte dos casos é bastante eficaz.

Aguardamos você no próximo artigo! Deixe sua sugestão de temas nos comentários!

 13,717 Pessoas Leram este Artigo,  36 Visualizações Hoje


Luciana Lima Wake Up

Graduada em Direito pelo Centro Universitário de Goiás. Pós graduanda em Direito do Trabalho e Processo do Trabalho pela Anhembi Morumbi. Redatora de textos acadêmicos e na área de cobranças pela Wake Up Cobranças.

1 comentário

Marcio Roberto · Março 12, 2021 às 11:16 pm

Gostei da sua publicação e conseguir tirar algumas dúvidas
que eu tinha e não sabia ao certo onde procurar para
poder esclarecer. Também possuo um site gratuito de
utilidade pública e gostaria que você conhecesse. E quem
sabe até trocarmos experiências sobre SEO ou marketing
digital em nosso segmento. Agradeço à atenção e que
Deus nos abençoe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *